terça-feira, 1 de setembro de 2009

Festa de apresentação das listas



Por fim, e a encerrar o evento, discursou Manuel Ruivo, candidato à Câmara Municipal de

Cantanhede que, ladeado pelos futuros Vereadores (Icília Moço, Luís Silva, João Sousa e José Santos), saudou todos os presentes, candidatos a deputados e a todos os órgãos concelhios.
E, note-se, saudou todos os seus adversários, porque referiu “a democracia não se faz sem oposição e que é no confronto de ideias, de projectos, de modelos que se constroi o futuro, que o mundo pula e avança”. Referiu ainda que democracia é a “terra onde as gentes tomam as suas próprias decisões, no pluralismo, sem peias nem recados”, usando a máxima de que cada homem um voto
Lembrou ainda, com emoção e saudade, todos os camaradas que entretanto partiram. Referiu com especial relevo o seu primo, também Manuel Ruivo de nome, que desapareceu violentamente do nosso convívio, há 13 anos, e que foi o seu timoneiro político.

Em termos de projectos, Manuel Ruivo, abordou a necessidade de lutar DO SEU LADO para melhorar alguns aspectos da vida dos cidadãos do concelho de Cantanhede.

Falou da actual miséria da agricultura em que “é necessário um saco de batatas para comprar uma simples bica”, tornando-se urgente o aconselhamento e acompanhamento dos agricultores na introdução de novas culturas, novos processos e na organização de uma produção rentável.
Referiu-se ainda ao atraso na construção do saneamento no concelho e recordou que na inauguração da ETAR de Corticeiro/Vilamar – a única inaugurada em 12 anos de poder laranja – o actual Presidente do executivo “esqueceu-se”, lamentávelmente de convidar os vereadores do PS e que fazem, quer ele queira quer não, tambem parte daquele órgão autárquico.

Falou de seguida da pertinência da melhoria da qualidade de vida dos cidadãos, através do apoio firme às associações locais, à aposta forte na educação e formação profissional. Como referiu “não há emprego bem remunerado sem formação profissional adequada”.

Frisou ainda a necessidade de apoiar o acesso à habitação, através do apoio à recuperação das casas degradadas existentes no concelho, contrariando a tendência actual de construção de bairros sociais, futuros “guettos”.

Várias vezes interrompido ao longo do discurso por todos os presentes, muito especialmente quando abordou aspectos sociais. No final ovacionada com palmas e Vivas “PS PS” foi dada por finda a apresentação.

1 comentário:

terra disse...

estive no picnic e adorei ver toda esta gente reunida e unida! vi aqui a força desta campanha e deste grupo! com humildade e determinação vamos ganhar!