quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Caiu o projecto COBAI
















Apresentado em Março de 2009 com pompa e circunstância, cai mais um projecto emblemático de Cantanhede.
As antigas instalações da COBAI seriam transformadas na sede da CEC (Conselho Empresarial do Centro), da AEC (Associação Empresarial de Cantanhede), da EPTC (Escola Técnico Profissional de Cantanhede), delegação da ACIC (Associação Comercial e Industrial de Coimbra), CNO/IEFP (Centro Novas Oportunidades – Instituto de Emprego e Formação Profissional) e outros, teria uma incubadora de empresas, a Agência de Desenvolvimento Regional WinCentro, etc, etc.
Na última reunião de Câmara foi denunciado o contrato.
Já não haverá CEC, já não haverá AEC, já não haverá ACIC e outras siglas, já não haverá incubadora... já não há dinheiro.

João Moura, na última Assembleia Municipal afirmou ”…todos nós teremos de passar por momentos de aperto e não podemos escamotear o despesismo das últimas décadas, em que gastámos 110 quando tínhamos 100”.

Também na mesma Assembleia Jorge Catarino, o grande responsável pelo descalabro das finanças municipais afirmou “espero que para o ano possamos estar aqui a discutir quais foram as medidas concretas que o município tomou no sentido de desaparecer daqui com a derrama, este sim um aumento fiscal."

Meteram-lhe a mão nos bolsos… e gritou.

Durante 8 anos atirou a bola para a frente na construção de tanto estádio, tanto pavilhão sem qualquer tipo de utilização (há freguesias com 2!!), tanta festa… Cantanhede capital do dixie… lembram-se?

E Catarino rematou: "Dou o meu voto de confiança, mas o aumento da derrama é altamente penalizador para o tecido económico e para as famílias”.

Espero que tenha o mesmo tipo de preocupação na redução das taxas do IMI e do IRS, essas sim, penalizadoras de todas as famílias do concelho...

1 comentário:

andré disse...

Ainda hoje o pais pergunta quem foram os responsáveis pelo descalabro financeiro de Portugal: um deles foi Aníbal Cavaco Silva, como Ministro das Finanças e Plano (1980-1981) do VI Governo Constitucional e depois como primeiro ministro - a pessoa que mais tempo esteve na liderança do governo do país desde o 25 de Abril (1985 a 1995) e agora como Presidente da República desde 2006, do PSD;
Agora deve-se perguntar quem foram os responsáveis pelo descalabro das finanças do concelho de Cantanhede: um deles foi Dr. Jorge Manuel Catarino dos Santos, que foi desde 1998 até 2005 - OITO ANOS - Presidente do executivo municipal e desde 2005 até hoje como Presidente da Assembleia Municipal, do PSD.
Agora não há dinheiro..pois.
gastaram-no de qualquer modo e em obras, tipo palacetes mas desnecessárias.
Agora Eng Moura também do PSD, chora por ver a casa(cofre) vazia/o.
E tal como Carlos Encarnação, também do PSD, que vai abandonar a Câmara de Coimbra, por desencanto, qualquer dia vemos o João Moura a não partir mais de Coimbra e por lá ficar
E agora quem paga são as famílias do concelho com o aumento da derrama ....
Não é senhores responsavéis

andré